(IR)REverente

São Escolhas!

Actos repetidos e irreflectidos são comuns, subsistem, afirmam convicções até para os que acreditam piamente nas virtudes da coabitação para mim mera especulação!

Mexeu por dentro ou por fora, do avesso, mexeu e continua a inflamar o direito de arder…consome deliberadamente.

A íris reflectida nesses olhos despiu, crucificou e logo a seguir despojou as profundas feridas quase curtidas, alguém que de triste é, não é preciso muitos adjectivos a tristeza consegue assombrar o mais crédulo…

Admitir uma gratuitidade sem promoção, infligir a dor na proporção do igual ao vazio remete na medida da cura a uma mesquinhez ao supremo léxico,  és o resultado do caminho escolhido que não faço parte, no agora o que procuro é a cura de todos os males recebidos, a purga em saber ser.

Os efeitos são a distância, a recusa, entregas ou compromissos, o botão encravou em esquecer o constante e refugiu, são quereres!

A destruição foi tamanha, o real é invisível aos olhos e por mais que a tua irís acrescente, nada comparado com as areias nos teus mais convidos areais!

Tempo de seguir o exercício é não olhar para trás.

 

 

 

 

Deixe um comentário

Filed under Mundo, Pedaços de mim

Everybody’s free (to wear Suncreen in the style of Baz Luhrmann)

Uma maxima que quero não me esquecer esta música acompanha-me em cada corrida que faço desde sempre!

In Loco

Deixe um comentário

15/06/2017 · 13:20

Ponte Perigosa essa…

1280px-GoldenGateBridge-001Estou tentada a escrever sobre um assunto universal, entenda-se que parto sem pudor, crença, preconceito, esqueçam os títulos e mantenha-se a aparência por quem se diga!

A garagem onde estaciono todos os dias o meu carro é coberta e de uma maneira geral abriga e protege o “Chassi”, pois esse é o propósito até aqui tudo muito normal…

A garagem serve para o efeito que quero, no entanto é muito mais complexo, o embrulho é bonito, agradável ao olhos, até o laço foi escolhido (coisa que aparentemente não dá trabalho) é tudo uma questão de gosto. Continuar a ler

Deixe um comentário

Filed under Homem, mulher, Mundo, Naughty boy

Ratazana de esgoto

O seu discurso inicialmente em tom afável e cordial por depressa cai por terra…revelou ser uma pessoa indelicada e presunçosa.

Debaixo da sua carapaça de bonvivant mora sem exagero um poço de desejos por onde chovem moedas brilhantes que cintilam e alimentam egos!

Esse “António” do Carmo, tirano nos tempos de agora, morre por glória, gosta de vestimentas de adorno, vive de aparências exala odor de ganância…

A sua visita desconcertou-me, adiante mora a explicação?!

Apresentou-se muito seguro de si, cheio de certezas encontrou respostas que não pediu  e viu o outro “lado” da moeda. Impecavelmente “clean” indo ao pormenor do sapato com uma sola também ela soberba, de camisa branca justa ao corpo notei que a perda de peso era notória, a calça também ela muito justa ao corpo de côr escuro “burdô” ou rosa escuro não acuso esse reparo salvou-me de ferir a liris do olho, o casaco esse ficou no carro…

De imediato vi a sua imagem esmagada por um atitude descontrolada de marcar uma posição sem sucesso, que me levou por instinto a incurtar sua presença, contudo com a sua licença despedi-me e fechei a porta atitude essa que me valeu, mas não aceite pelo próprio, seguindo-se de uma pontepear sucessivo e fortuito deixando marcas na porta de alumínio da entrada de minha casa.

Regressei à rua mas protegida por um muro no sentido de acalmar a ratazana que só reparar na presença de outra pessoa junto a mim recuou proferindo palavras de ameaça e partiu no seu carro também ele impecavelmente limpo saído da capa de uma revista da especialidade.

In Loco

Deixe um comentário

Filed under Mundo

R-E-S-P-E-C-T*

de13054320955133b543f86923cc8437e1320e9b_m Continuar a ler

Deixe um comentário

Filed under Mundo

(En)cantos

En)canta-me teu jeito de ser não apenas pelo prazer ao conceber tamanha lucidez!


En)canto esse quebrado por um silêncio por regras de mau perder.

En)canta-me a razão pela presença ao constranger, a vergonha maior será a quem pertencer!

En)canto, atracção e desejo pelo fim à negação esse tão aguardado final convida a um ponto de interrogação?

Da experiência somente a ilusão substrai-se um coração e acrescenta-lhe uma << confissão>>

– É paixão!

Deixe um comentário

Filed under Mundo

Neste Natal embarque connosco numa viagem pelos sabores da Europa | Portugal – European Commission

Neste Natal embarque connosco numa viagem pelos sabores da Europa

Fonte: Neste Natal embarque connosco numa viagem pelos sabores da Europa | Portugal – European Commission

Deixe um comentário

Filed under Mundo

#sem filtros

#filtro 

O termo “filtro” tem etimologia do latim philtru e do grego phíltron. Entende-se por filtro algo que seleciona o que passa por ele, deixando passar apenas o que não é filtrado.

Gosto sempre de começar as minhas abordagens com uma busca ao dicionário procurando obter o significado universal da palavra.

Faço-o apelando ao mecanismo de me libertar de associações e restringir ao que me trouxe aqui.

Essa coisa de ser transparente e ao mesmo tempo cordial e blabblalablablalablalablalabbla é uma treta do tamanho da maior e existente treta que tu conheces!

Isto de ser isento, parcial e objectivo não é para todos e dou os meus parabéns quem o finge fazer tão bem que até parece verdade. E dissem:

– a vida amarga as pessoas ou então torna-as mais doces, mas para essa vida TER é preciso por cá deambular, qual tamanho e poder essa vida tem, que nos permite #fitrar tudo.

Tudo se filtra e se constrói nessa base. Mesmo a nu se filtra a quantidade de informação que recebes, fazes a separação o que te interessa permites que permaneça o resto para o lixo ou então reciclas e quando te apetece voltas ao  lugar que te fez sentir bem.

Se o filtro é de uso continuo e a ferramenta aplicada o gesto a retirada da impureza, é um recuo mas tomamos com o principal sujeito para lá chegar tornando mais limpo e visível e puro a substância principal para chegar perto da perfeição que queremos obter… então não acho que o perfeito seja o certo como também não acho o errado o correcto.

Tudo se filtra…

Diz o empregado de mesa para o freguês que acaba de chegar:
O que deseja tomar?
O freguês puxa do seu filtro do dia e responde quero uma "poção e amor"

 Ou, ainda, é sinônimo de:

  • Poção do amor – beberagem mítica capaz de despertar o sentimento amoroso em quem a toma.

 

 

Deixe um comentário

Filed under Mundo

#rejeição

20131031-175418.jpgA rejeição é como um sótão onde se guardam objetos de valor material ou sentimental, os quais não conseguimos abdicar, no entanto ficam para lá de esquecidos, enterrados em pó, num escuro vazio com se as nossas vidas dependessem desse passado que a qualquer momento podemos salvar de cair no esquecimento.

Mas, a visão da rejeição não pode ser dona do passado, ela detém  patente registada de um presente e um futuro brilhante, alimenta-se da estima e quando a consome e destrói o seu rasto silencioso ataque o seu hospedeiro que depois de o enfraquecer lhe devolve o corpo.

Somos seres físicos, mentais, emocionais, não controlamos o universo! Engana-se quem detém tamanha patente: a bomba atómica nuclear de controlar sentimentos, está fora de jurisdição, livre-se de tamanha consideração!

As palavras levam-me AO PROCESSO DE CURA se é que existe! Passo a explicar: nem toda a rejeição tem de ser má, penso em negação…a natureza explica muita coisa, mas ocorreu-me um exemplo, uma cria é rejeitada pela sua progenitora, o extinto prevalece, se o alimento escasseia a escolha recai em abandonar uma das crias ou em muitos casos acabar com m pressuposto sofrimento futuro -sobrevivência ou deter a cria mais fraca o mote é dado.

A natureza explica muita coisa o ser humano diz-se racional mas com atitudes por vezes irracionais.

Sobreviver é o que andamos a fazer e acabamos por esquecer o ” Viversobre”…as rejeições são diárias de enfrentar, fazem parte  viver sobre um lugar onde não controlamos nem tão pouco a prepotência ao ponto de coexistir.

Divagos são divagos

 

MD

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Filed under Mundo

#Traição

Bike

Quem de nós nunca traiu? Até onde vai a traição? Tipos de traição? Porquê trair?

Tantas vezes estas  e outras perguntas me assombram, confesso eu já traí e já fui traída conscientemente ou inconscientemente fi-lo comigo, contigo, pelo outro, para o outro, porque sim e porque não…por atos, em acções, por gestos, (se valer) em sonhos, porção ou medida, contida dentro ou fora … não me assumo moralista nem tão pouco liberal…

Onde começa e acaba vai depender do factor condiçao, via e meio.

A definição que trás o dicionário juridicamente “é tornar óbvio e evidente o que se queria ocultar, ser infiel ou descumprir com o compromisso assumido”.

Quando falo em traição a condição de hoje apela à relação a dois, mas a amizade, os negócio, a religião e a cultura, sei lá tantos temas que a palavra por si abraça e arregaça tantas áreas.

No final a própria condição dita o que se chama de traição, quem a esconde atrás dos sentimentos, dos pensamentos, das obsessões, do desgaste, do preconceito, da mentira assume-se traidor em “on/off” é um passo para a descoberta? do que realmente sou? a liberdade de puder decidir é minha?

Vejo traição em tudo o lado, assumo que me pertence esta (RE)flexão, não encorajo ninguém, mas se por um lado me revejo como traidora em estatuto, um degrau que desci ou subi, esquartejo e limpo o atroz sabor da traição que me amarga o céu da boca em forma de comoção relevante que transforma a dor e o dissabor em algo doce como a tua absolvição sem culpa do que for…

Charles Bukowski

“Há suficiente traição, ódio,
violência,
absurdo no ser humano comum
para abastecer qualquer exército a qualquer
momento.
E os melhores assassinos são aqueles
que pregam contra o assassinato.
E os melhores no ódio são aqueles
que pregam amor.
E os melhores na guerra,
enfim, são aqueles que pregam paz.”

 

 

 

Deixe um comentário

Filed under Mundo